9 Dicas de SEO para 2020

Indice de Conteudos

Ao aprofundar suas estratégias de SEO para 2020, mantenha o que funcionou em 2019 e priorize as táticas de pesquisa orgânica que você negligenciou ou manipulou da maneira errada.

Aproveite todas as oportunidades que o Google der ao seu conteúdo para ter uma boa classificação. Apesar das constantes mudanças da maior ferramenta de pesquisas online e do comportamento dos usuários, um estudo de 2019 da BrightEdge descobriu que o orgânico comanda 53% de todo o tráfego do site. Além disso, muitas pesquisas já mostraram que os usuários preferem clicar em links orgânicos a anúncios.

Para que você você consiga maior desempenho quando se trata de criação de sites para os motores de buscas ou melhorar o posicionamento daquele site que não rankeia de jeito nenhum, separamos 10 dias novas e fresquinhas que vão te ajudar. Vamos lá?

1. Backlinks são vitais

Independentemente do tamanho, as empresas sempre podem se beneficiar de mais links apontando para elas. Eles são a força vital do domínio e da autoridade de página, que continuam sendo o fator de classificação mais significativo. 

Existem muitas maneiras de se conseguir links de qualidade, como a segunda dica, que falaremos sobre desenvolver um ótimo conteúdo, mas também, na criação de guest posts para nichos similares ao seu.

Lembre-se que não basta ter qualquer link apontando para o seu site, pois esses links precisam de autoridade e serem contextualizados.

2. Conteúdo de qualidade é essencial

Um conteúdo excepcional não garante uma classificação superior. Links de outros sites, implementação das práticas recomendadas de SEO e ótima copy trabalham juntos para ajudar suas páginas poderem alcançar os melhores lugares no Google e em outros mecanismos de pesquisa.

Por exemplo, um artigo muito bem feito sobre um tema, com bons links externos, imagens, vídeos, tamanho aceitável, pode ficar parado na posição #78 do Google, enquanto um artigo mais “vagabundo” pode estar na primeira página. Por quê?

Porque a autoridade do site conta muito. O Google entende que um site fraco, possui um conteúdo fraco, nem sempre é assim e nem tudo é regra. Por isso que é importante trabalhar para ter um site com boas métricas.

Logo, naquele fight na primeira página pela primeira posição, quem tiver o melhor conteúdo, leva!

3. Não se preocupe com todos os fatores de rankeamento

Existe uma lacuna gigantesca entre o impacto na classificação das palavras-chave, nos títulos das páginas e nos cabeçalhos do conteúdo, em relação à velocidade de carregamento da página, aparência móvel e uso de HTTPS. Embora não conheçamos a importância real de qualquer fator, eu sempre alcanço as melhores classificações ajustando os títulos e os cabeçalhos das páginas, mesmo enquanto as variáveis ​​menores de classificação obtêm notas ruins.

Isso significa que você vai encontrar sites bem piores que o seu rankeando bem, sites com muito spam ou backlinks nada orgânicos na primeira posição e você não vai gostar nada disso, afinal você tem trabalhado tanto no SEO do seu site e não consegue rankear… que chato, não?

Isso acontece porque… não sabemos exatamente. Isso! Da mesma forma que dizemos “Deus trabalha de formas misteriosas”, o Google também. Então, não se torture e perca noites de sono tentando descobrir o que o Google quer, afinal, ele vive mudando de “ideia”.

4. Espere que os mecanismos de pesquisa se tornem ainda mais sofisticados

Enquanto eles se esforçam para fornecer os resultados mais relevantes, os mecanismos de pesquisa se esforçam para entender a intenção por trás de cada consulta.

No ano passado, o Google lançou o BERT, uma atualização do algoritmo de processamento de idioma natural.. Até o momento, o BERT se concentra na intenção da pesquisa, aquilo que realmente o usuário quer. É uma forma de deixar as pesquisas mais certeiras.

É fácil confundir o BERT com o RankBrain, a atualização em 2015 como parte principal do algoritmo do Google. O RankBrain aproveita o aprendizado de máquina para gerar resultados de pesquisa, a partir de um amplo conjunto de variáveis ​​(incluindo o histórico de pesquisas relacionadas).

Por causa do RankBrain, você pode classificar para uma frase de palavra-chave que não está presente no seu conteúdo. Em seu estudo, Ranking Factors 2.0 de 2017, a SEMrush descobriu que 18% dos sites com boa classificação não tinham a palavra-chave em seu conteúdo.

Ora, como pode ser? O Google está melhorando no dimensionamento de pesquisas com conteúdo relevante – não necessariamente em palavras-chave.

O Google se concentra mais nas idéias que o conteúdo transmite do que nas palavras-chave. Entre os trilhões de pesquisas que ele realiza todos os anos, o Google afirmou que 15% das consultas são realizadas pela primeira vez. O RankBrain faz o possível para compreendê-las.

5. Demonstre confiança e autoridade

O Google pode cada vez mais dar uma vantagem ao conteúdo do site que parece confiável. Você pode obter essa vantagem com especialistas oferecendo informações úteis em artigos e listando suas credenciais em resumos curtos.

O foco na confiança, deriva do documento do Google 168 páginas, das Diretrizes do Avaliador da Qualidade da Pesquisa Google, que cita o valor da experiência, autoridade e confiabilidade (E-A-T). O Google detalha esses valores na seção de algoritmos de pesquisa de outro relatório, como os algoritmos de pesquisa funcionam:

“Além de combinar as palavras da sua consulta com documentos relevantes na Web, os algoritmos de pesquisa também têm como objetivo priorizar as fontes mais confiáveis ​​disponíveis. Para isso, nossos sistemas são projetados para identificar sinais que podem ajudar a determinar quais páginas demonstram conhecimento, autoridade e confiabilidade em um determinado tópico.”

6. Preste atenção aos URLs da página

Como dito anteriormente, os fatores de classificação variam. Mas você não deve negligenciar as URLs. Mantenha-as curtos e precisas – três a seis palavras que refletem o conteúdo. Com muita frequência, os sites diluem os URLs com tantas palavras que perdem sua eficácia.

Não é bom:

https://www.seusite.com.br/01/01/2020/conheca-varias-dicas-de-seo-para-2020-e-esteja-na-primeira-pagina-do-google-rapidamente

Boa:

https://www.seusite.com.br/seo/dicas-seo-2020

7. Otimize as imagens do seu site

Ao processar imagens, sua equipe deve se concentrar no tamanho do arquivo, nome, texto alternativo (alt) e muito mais para obter sucesso em posicionamento. 

Mas também, algo importante a se pensar é se você realmente precisa ou quer que o Google indexe imagens do seu site, pois nem sempre é válido ter várias imagens ou várias páginas indexadas no Google, reflita sobre isso.

8. Verifique se o seu site não tem problemas de rastreamento

Os mecanismos de pesquisa podem não rastrear todas as páginas que você deseja que eles visualizem. Eles podem ser impedidos pela estrutura geral do site ou por muitos redirecionamentos. Consulte o Google Search Console para avaliar o desempenho do seu site e se há algum bloqueio.

9. A pesquisa por voz veio para ficar

É difícil ignorar o impacto da pesquisa por voz, especialmente porque se espera que mais de 1,6 bilhão de assistentes de voz sejam utilizados por smartphones e alto-falantes inteligentes como Google Home, Amazon Alexa e Apple Siri até 2022.

E um estudo da PwC, descobriu-se que 71% dos adultos americanos preferem usar um assistente de voz do que digitar algo online. Com base em sua tecnologia e conteúdo, seu site já pode estar entre alguns resultados de pesquisa relacionados à voz anunciados pelos assistentes. 

Por fim, é válido sempre estar atualizado a novos conteúdos, pois o Google vive mudando as regras do jogo. Espero que este conteúdo te ajude e que nos vemos nas primeiras posições da SERP!

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn

Quer receber novidades?

Não perca mais dicas e conteúdos gratuitos!